sábado, 7 de novembro de 2009

O triste fim do Sítio do Picapau Amarelo





Visitar o local onde eram gravadas as cenas do "Sítio do Picapau Amarelo", de 1977 a 1986, em Barra de Guaratiba, é fazer uma melancólica viagem ao passado. Em vez do belo sol nascente, dos rios de prata e do voo sideral pela mata, descritos na canção de Gilberto Gil que ficou eternizada como tema de abertura da série, as imagens são de abandono e vandalismo. Uma fonte de água se transformou em depósito de aparelhos de TV velhos, a entrada da caverna de Cuca virou lama e o varandão de Dona Benta é só lixo e limo.

Para entrar no sítio, é preciso vencer um caminho cheio de lama e mato. O cenário piora à medida em que se avança. As paredes laterais do casarão estão pichadas e a pintura, envelhecida. A estrutura que cobria a varanda já não existe, deixando o imóvel bastante exposto às chuvas. A maioria das janelas não tem mais vidros. Em seu lugar, há tábuas de madeira sobrepostas.

Os azulejos de cor laranja na entrada da casa e a janelinha no alto, próxima ao telhado, são os detalhes que sobraram da pomposa estrutura montada pela Rede Globo nos anos 70. Na época, a emissora alugou o imóvel e o remodelou para que tivesse as características descritas por Monteiro Lobato em sua obra.

Atualmente, vive no local um senhor chamado Nivaldo da Cruz, de 70 anos. Ele conta que o pai, já falecido, alugou o local para as filmagens.

— Hoje, não tenho dinheiro para cuidar da casa — diz.

Segundo os vizinhos, depois do falecimento dos proprietários, os filhos não se interessaram pela manutenção do imóvel. Eles contam ainda que o local já foi invadido por desabrigados da região, que só aumentaram sua deterioração.


Local que serviu de cenário para filmagens do programa da TV Globo entre 1977 e 1986 virou sinônimo de abandono, sujeira e vandalismo

Belo sol nascente, rios de prata, voo sideral pela mata, país da fantasia... Difícil esquecer as imagens descritas por Gilberto Gil na canção “Sítio do Picapau Amarelo”, eternizada como tema de abertura de uma das séries de maior sucesso da televisão brasileira.

Porém, os belos cenários que marcaram as travessuras de Narizinho, Pedrinho e Emília na primeira versão transmitida pela Rede Globo, entre 1977 e 1986, hoje só existem nas lembranças de quem assistiu a algum dos mais de 60 episódios dessa fase. No sítio onde era gravada a maioria das cenas, em Barra de Guaratiba, uma fonte de água se transformou em depósito de aparelhos de TV velhos. A entrada da caverna de Cuca virou lama. E o varandão de Dona Benta é só lixo e limo.




Fãs lamentam e sonham com restauração

Para entrar no sítio, é preciso vencer um caminho cheio de lama e mato. O cenário piora à medida em que se avança. As paredes laterais do casarão estão pichadas e a pintura, envelhecida. A estrutura que cobria a varanda já não existe, deixando o imóvel exposto às chuvas.

A maioria das janelas não tem mais vidros. Em seu lugar, há tábuas de madeira sobrepostas.
Os azulejos de cor laranja na entrada da casa e a janelinha no alto, próxima ao telhado, são os detalhes que sobraram da pomposa estrutura montada pela Rede Globo nos anos 70. Na época, a emissora alugou o imóvel e o remodelou para que tivesse as características descritas por Monteiro Lobato em sua obra.

Para isso, foi necessário construir curral, galinheiro e pomar, além da casa do Tio Barnabé.
Atualmente, vive no local um senhor chamado Nivaldo da Cruz, de 70 anos. Ele lembra que o pai, já falecido, alugou o local para as filmagens.

— Hoje, não tenho dinheiro para cuidar da casa — diz.

Segundo os vizinhos, depois do falecimento dos proprietários, os filhos não se interessaram pela manutenção do imóvel.

Eles contam ainda que o local já foi invadido por desabrigados da região, que só aumentaram sua deterioração.

O jornalista Carlos DeLaet e a psicóloga Katherine Lima lideram um movimento na internet para tentar restaurar o imóvel.

Eles procuram alternativas para resgatar os belos detalhes do local em parceria com empresários e os atuais donos. A comunidade do “Sítio do Picapau Amarelo” no Orkut tem mais de 12 mil membros. O tópico sobre a péssima situação do local tem 382 comentários.

— Tenho o sonho de ir lá. Pode estar caindo aos pedaços, mas é o “Sítio” que vi na minha infância — diz Gláucio Alberto, em um comentário na rede.

Maria José Galdino teve a oportunidade de conhecer bem o sítio. Ela, que trabalha num restaurante perto do imóvel, guarda um vaso usado no programa, no qual chegou a trabalhar como figurante.

— Até hoje as pessoas me perguntam sobre o sítio. Um casal de São Paulo veio aqui só para tirar fotos — informa.

Vera Lúcia da Silva, moradora do bairro há quatro décadas, conta, orgulhosa, que seu filho também atuou como figurante do “Sítio do Picapau Amarelo”: ele participou do episódio “Circo de cavalinhos”.

— Na época, eu tinha um restaurante por aqui, que vivia cheio de atores e produtores — diz Vera, com saudade.



Quem também se lembra do período com carinho é a atriz Lucinha Lins, que fez uma participação no “Sítio do Picapau Amarelo” como Rapunzel: — Foi uma época inesquecível.
Lembro de ter conhecido o local. Era encantador, verdadeiro. É uma pena que tenham perdido o interesse pelo espaço.

Para o ator Tonico Pereira, intérprete do Zé Carneiro, o sítio de Barra de Guaratiba tinha “ares mágicos”: — O clima era maravilhoso. Lembro que fiz uma casinha de chocolate para minha filha que era igual à do sítio. O lugar tinha um ar doce — afirma o ator, que gostaria de ver o local aberto à visitação.

Morador da área, Matheus Calixto, de 13 anos, não viu o programa de TV, mas sabe as histórias do passado.

— Escolas organizavam passeios ao sítio. Seria ótimo isso acontecer outra vez — diz.





“É uma pena que se tenha perdido o interesse pelo espaço”

LUCINHA LINS
Atriz

“O clima nas gravações era maravilhoso. O sítio tinha um ar doce ”
TONICO PEREIRA
Ator



Por Anna Luiza Santiago
O Globo Zona Oeste - 10/10/09

5 comentários:

  1. tenho saudades do sitio relenbro agora com minha mae no canal futura queria que voltasse tudo denovo hoje tenho quarenta e nove anos mas me torno uma crianca juto com minha mae de oitenta e tres anos e rimos muito das facanhas da emilia quero deixar um pedido para voltar tenpos bonsas criancas ainda precisam disto obrigado.

    ResponderExcluir
  2. tenho o sitio na minha cabeça, a saudade é grande da quela época tenho o dvd o minotauro só para rever as imagens da quela época . Saudade

    ResponderExcluir
  3. Lamentável, a Globo bem que podia fazer algo, não sabia dessa situação, lamentável imagem que fez parte da imaginação de tanta gente!

    ResponderExcluir
  4. TENHO 46 ANOS EU ALHANDO ESTAS FOTOS NAO
    ACREDITO QUE ERA AQUELE SITIO QUE EU VIA
    QUANDO CRIANÇA.

    ResponderExcluir
  5. Silvio Charles L. Colares3 de fevereiro de 2012 17:54

    Olá Amigos!
    Olhando as imagens onde eram gravadas as cenas do Sítio acho um absurdo, as condições em que se encontram a casa e demais cenários. Quando a Globo que tanto investiu neste seriado importantíssimo, agora abandona e gasta milhões em programas fúteis, como BBB12. É lamentável!

    Tchau...Tchau!!

    ResponderExcluir